Maria madalena, amiga de jesus! Um parâmetro de amizade que nos desafia. | Salesiano Rocha Miranda

Maria madalena, amiga de jesus! Um parâmetro de amizade que nos desafia.



Maria madalena, amiga de jesus! Um parâmetro de amizade que nos desafia.
  1. AMIGAS E SERVIDORAS DE JESUS

Ao centro das narrações do anúncio da ressurreição, temos a ilustre presença das mulheres amigas de Jesus (cf. Mc16,1). Jesus não apareceu, em primeiro lugar, a Pedro, nem a João, nem à sua mãe, nem às autoridades, nem aos outros discípulos… Ele apareceu a várias mulheres: Maria Madalena, Maria mãe de Tiago e Salomé (cf. Mc 16,1); Lucas ainda acrescenta mais uma, é Joana, esposa de Cuza, alto funcionário de Herodes (cf. Lc 24,10).

Mas é Maria Madalena a protagonista de muitas cenas. Sua amizade com Jesus parece ser mais profunda. Elas seguiam a Jesus como discípulas e servas, providenciando o que lhe era necessário na missão (cf. Lc 8,3; Mc 15,40). Madalena era assim chamada porque vivia em Magdala. Uma vila às margens do mar da Galileia; lugar de gente simples, pescadores; esse ambiente era frequentado por Jesus.
A amizade entre Jesus e Maria Madalena não nasceu certamente de um fato isolado, mas foi fruto de um longo processo de convivência, já que ambos compartilhavam do mesmo espaço cultural e contexto sócio-afetivo.

  1. O PERFIL DA AMIZADE DE MARIA MADALENA

Jesus lhe foi muito mais que amigo: foi-lhe MESTRE, MÉDICO, PSICÓLOGO, LIBERTADOR, COMPANHEIRO (cf. Lc 8,1-3). Dizem os evangelistas que Jesus lhe tinha expulsado “sete demônios” (cf. Lc 8,2; 24,10; Mc 16,9). Pobre coitada!

“Sete demônios” é uma expressão carregada de significado que nos leva a pensar que Maria Madalena era uma mulher muito sofredora, oprimida por muitos males, lhe pesavam muitos problemas… Por isso era mal vista e desprezada pelos puritanos! Jesus, no entanto, a abraça com sua misericórdia! Ele a conheceu por dentro, fazendo emergir sua dignidade de pessoa e mulher!
Assim acontece em nossa vida: os(as) autênticos(as) amigos(as), dependendo das situações, são para nós educadores(as), médicos(as), psicólogos(as), libertadores(as), companheiros(as) de jornada (cf. Lc 8,1). A eles(as) lhes interessa o nosso “Ser” e não as circunstâncias passageiras! E nos ajudam a superá-las!

Talvez tenha sido essa experiência de AFETO CUIDADOSO, da parte de Jesus, que marcou profundamente a alma da Maria Madalena, capacitando-a para acolhê-lo, confiar, conhecê-lo em profundidade, respeitá-lo, amá-lo, segui-lo, obedecê-lo, servi-lo! Testemunhando com atitudes, ela lhe foi profundamente grata!

Chama-nos atenção o fato de que não é uma relação de afeto intimista; na verdade Maria Madalena é uma mulher aberta e servidora. Sua amizade para com Jesus não é constituída só de sentimentos; tem também esforço, trabalho, serviço, investimento (cf. Lc 8,1-3; Mc 16,1).

  1. VIRTUDES E FRAGILIDADES DE MADALENA

Para Maria Madalena a amizade com Jesus foi um PROCESSO DE LIBERTAÇÃO; mas em nenhuma situação Madalena assumiu o status de perfeição, nem se tornou puritana! Foi sempre profundamente humana, marcada por fragilidades e cheia de paixão e cuidado providencial para com o seu amigo do coração. Jesus, homem digno de confiança e respeitoso, lhe favoreceu a oportunidade de CRESCIMENTO, acolhendo sua sensibilidade própria!

A PROVA DA AMIZADE de Maria Madalena para com Jesus é fantástica: ela acompanha o amigo no seu calvário; impotente, contempla-o agonizando pregado na cruz; escuta suas últimas palavras de misericórdia, seus gritos de dor! Solidária ao extremo, Maria Madalena estava ao pé da cruz, ao lado da mãe do seu amigo, compartilhando do mesmo sofrer (cf. Jo 19,25-26).
Como é compreensível, Maria Madalena ficou profundamente abalada com o cruel assassinato do seu querido amigo! Sentiu um choque emocional tão forte, que quase por completo, se esquecia da grandeza do amigo, das histórias vividas, perdendo suas palavras e promessas, ficando profundamente confusa (cf. Jo 20,11.15.16).

  1. ALEGRIA, CORAGEM, ANÚNCIO, TESTEMUNHO, SERVIÇO

Mas eis que um fato extraordinário acontece. Todos os evangelistas documentam que Maria Madalena é a primeira a constatar o sepulcro aberto e vazio; relatam também que esse fato causou grande ansiedade em Madalena. Então, com as outras amigas, saíram correndo, CHEIAS DE ALEGRIA E MEDO, para transmitir a notícia aos discípulos de Jesus (cf. Mt 28,8).

Enquanto estavam correndo, outro susto ainda maior, surpreendente, glorioso! Narra Mateus: “De repente, Jesus foi AO ENCONTRO delas, e disse: «Alegrem-se!» (Mt 28,9). Jesus que conhecia profundamente o coração e a mente delas, eliminou-lhes o medo com sua presença: “Alegrem-se!”. Os amigos se encontram e se confortam!

Madalena, então, após o encontro com o amigo Ressuscitado, se faz portadora de nobres sentimentos e atitudes que devem acompanhar a vida do discípulo-missionário. Antes de tudo a experiência da ALEGRIA (entusiasmo) E A CORAGEM! (ousadia).

Ao se depararem com Mestre Ressuscitado, em pé diante delas, “elas se aproximaram dele, se

ajoelharam diante de Jesus abraçando seus pés” (Mt 28,9). Que linda atitude! O que isso significa?  Esse gesto é uma declaração de RECONHECIMENTO DA GRANDEZA do seu Amigo: Jesus é acolhido como o SENHOR E MESTRE (cf. Jo 20,16); e elas, humildes e indignas servas! “Abraçar os pés” é uma atitude de predisposição ao SERVIÇO, pronta DISPONIBILIDADE e OBEDIÊNCIA afetuosa.

  1. UM PARÂMETRO de AMIZADE QUE NOS DESAFIA

Hoje para nós, “Maria Madalena” é muito mais que uma pessoa histórica! É parâmetro de amizade com Jesus, de processo de formação espiritual, que os evangelhos nos propõem.
Maria Madalena nos estimula a pensar na necessidade de percorrermos um processo de amizade com Jesus fazendo etapas e experiências bem precisas:

  1. Antes de tudo, é preciso ENCONTRÁ-LO;
  2. O encontro possibilita CONVIVER com Ele;
  3. A convivência gera o CONHECIMENTO;
  4. O conhecimento nos leva ao ENVOLVIMENTO AFETIVO – ou seja, confiança, escuta, entrega…;
  5. O envolvimento gera INFLUÊNCIA positiva, educação, formação, transformação, crescimento (isto é mudança positiva, fortalecimento, conversão…);

Enfim, a influência positiva e salutar FIDELIZA a amizade e promove o ANÚNCIO

Antônio de Assis Ribeiro (P. Bira) - SDB

Padre Antônio Ribeiro
Vice-inspetor da Inspetoria Salesiana de Manaus.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *